Carregando

Veremos o Cristo na Aura Terreste


Poucos viram a Luz Indescritvel, mais brilhante que o sol do meio-dia (Atos 26, verso13), que o Apstolo Paulo viu quando viajava para Damasco. Os expoentes daqueles que viram esta Luz, pois ela traz sem si nveis diferenciados de conhecimento, entraram para a histria. Plotino, Boehme, Santo Agostinho, So Joo da Cruz, Dionsio, Maom, Walt Whitman, Balzac e outros.

Rudolf Steiner defende a tese de que essa Luz maravilhosa, seria a viso do Cristo na aura da Terra e de que estaria destinada a todos ns.

Partilho da mesma opinio de Steiner, acrescida do fato de que esta seria a real e nica misso do Cristo e no o alardeado perdo de nossos atos, pelos quais somos responsveis, revogando assim a Lei do Carma (Aos Glatas 6, verso 7).

Deixemos Steiner nos ensinar.

Para tal, no entanto, era necessrio o mediador. E um dos primeiros grandes mediadores foi aquele que de Saulo se tornou Paulo. O que podia Saulo saber, sendo ele uma espcie de Iniciado judeu?.

De sua Iniciao hebraica ele sabia: se o esprito crstico esteve num corpo humano e se esse corpo estiver morto, o Cristo deve estar presente na aura terrestre. Ento deve ser possvel, a quem capaz de ver a aura terrestre com olhos espirituais, ver a o Cristo.

O evento de Damasco foi possibilitado pelo fato de seus olhos espirituais lhe haverem sido abertos como num nascimento ocorrido fora de tempo no mundo. Assim, seus olhos espirituais lhe foram abertos como num nascimento prematuro; ele viu a aura terrestre, e nela o Cristo.

Agora ele conhecia o evento do Glgota em seu significado, sabendo: o Cristo ressuscitou! Pois aquele que ele havia visto no podia ser vislumbrado antes na aura terrestre.

Os quatro ltimos excertos foram retirados da 14 Conferncia, O Evangelho Segundo Joo, Rudolf Steiner.

Prossigamos com Steiner.

Estamos caminhando para uma poca - isto deve ser recebido como uma comunicao em que as foras superiores dos homens podero visualizar o Cristo.

Um certo nmero de pessoas, ainda antes do fim do sculo XX (e nos prximos sculos tambm; acreso), tero a vivncia do Cristo como Paulo diante de Damasco (Atos 9, 21-22) -, no precisando de evangelhos ou documentos, assim como Paulo de nada precisou para ter conhecimento do Cristo.

Os dois ltimos excertos foram retirados da 10 Conferncia, O Evangelho Segundo Mateus, Rudolf Steiner.

Essa viso da Luz inefvel, que para Steiner a viso do Cristo na aura da Terra, representa para mim, a Primeira Iniciao. Essa Luz, que inicialmente ser vista em um sonho, se condensa em um pequeno crculo e se transforma no Pssaro que anuncia o Mestre, que d, isto muito importante, ao ento Iniciado, o Novo Nome (Apocalipse 2, verso 17) e uma Beno.

Veja neste site.

- O Sol dos Rosacruzes.

Bilbiografia.

Bblia de Jerusalm. So Paulo: Paulus, 2002.

BUCKE, Richard Maurice. Conscincia Csmica. Curitiba: Ordem Rosacruz, 1996.

STEINER, Rudolf. O Evangelho Segundo Joo. 14 Conferncia. So Paulo: Antroposfica, 2007.

STEINER, Rudolf. O Evangelho Segundo Mateus. 10 Conferncia. So Paulo: Antroposfica, 1997.

UNDERHILL, Evelyn. Misticismo. Curitiba: Ordem Rosacruz, 2008.


 Recomende este artigo
Indique para um amigo


Aguarde...






Todos Direitos Reservados © 2019