Carregando

O Mistrio do Cristo V


Em Rudolf Steiner encontrei a mais elevada concepo metafsica, sobre o nvel evolutivo do Cristo. Quem o Cristo? Isto o que estamos tentando responder nesta srie de Artigos. Para Steiner, o Cristo um Ser Solar, o mais elevado dentre eles. Mas como situar o Cristo em relao evoluo humana? Para isto, expliquemos inicialmente como se d a evoluo, ou como um ser se torna consciente, o que a mesma coisa.

A evoluo se d naquilo que chamado por Steiner, por Max Heindel e pela Teosofia de Blavatsky, Annie Besant e Leadbeater, de Esquema de Evoluo. Um Esquema de Evoluo contm sete Cadeias Planetrias, sendo que cada Cadeia Planetria composta de sete Planetas, cada um em uma dimenso ou Plano.

A a Mnada da Teosofia ou o Esprito virginal de Max Heindel, passa da inconscincia conscincia (fase humana), depois Maestria (fase dos Mestres ou Angelical) e aps, sem a necessidade de continuar usando corpo fsico, a nveis evolutivos ignorados at pelos Iniciados, que alcanaram a Quarta Iniciao (Arhat) e que escreveram sobre o Esquema de Evoluo; como provavelmente at por Mestres, como Morya, Koot Hoo Mi, Jesus, Saint Germain e outros.

Fala-se ento da tendncia infinidade da evoluo e da conscincia. Tempo no existe, sendo simples medida da manifestao. O universo desenrola-se durante os perodos de manifestao (Manvantaras) e enrola-se em si mesmo, durante os perodos de repouso (Pralayas). A Teosofia d ao Manvantara de todo o universo, a excepcional cifra de 311.040. 000.000.000 de anos terrqueos em relao estrela Sol e a um Pralaya universal, um perodo de igual valor.

Mas, quantos Manvantaras e Pralayas, ns j tivemos? O Manvantara que vivemos agora o primeiro? Assim, o Ser que chamamos de Cristo, poderia ter evoludo em um Manvantara anterior ao nosso e agora estar em condies de exercer o papel que exerce em nosso Sistema solar, isto , gerar vida. Como a primeira conscincia surgiu e depois, como evoluiu, um grande mistrio, a no ser para os testas.

Steiner se socorre de Joo, o Evangelista, e para ele Cristo o Logos de nosso Esquema de Evoluo. importante termos em mente que um Esquema de Evoluo a porta de entrada para se tornar consciente, e, portanto, est atrelado a uma estrela, ainda no Plano Fsico ou na Primeira Dimenso. Max Heindel afirma existirem 49 dimenses no universo e a Ordem Rosacruz nos induz a pensar em 144 dimenses, devido aos seus 12 Planos Csmicos, subdividido em doze nveis cada.

No Princpio era o Verbo (o Logos; Joo 1,1) e na poesia de Almeida Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez (Joo 1,3). Steiner v a o incio de nosso Esquema de Evoluo, nossa Primeira Cadeia Planetria, a de Saturno, onde o homem ganha (recebe de presente das Hierarquias Divinas), o germe do Corpo Fsico. O Verbo ou Logos de nosso Esquema de Evoluo , portanto, o Cristo.

Nele (no Verbo) estava a Vida (Joo 1, 4). Steiner v na Vida, o acrscimo ao homem incipiente do corpo etrico ou vital, por onde a vida penetra no corpo fsico. Estamos ento, na segunda Cadeia Planetria, a Solar.

E a vida era a Luz dos homens (Joo 1, 4; ao final). Steiner v na Luz, a Luz astral, oriunda do Plano Astral ou Segunda dimenso. Estaramos ento, na Terceira Cadeia Planetria, a Lunar, onde o germe do Corpo Astral acrescentado aos corpos fsico e etrico do homem.

E a Luz resplandece nas trevas, e as trevas no a compreenderam (Joo 1, 5). Steiner v na Luz os seres que habitam a estrela Sol, da qual Cristo o mais evoludo; e nas trevas, o homem que nesta Cadeia Planetria, a Quarta ou a Cadeia Terrestre (aquela na qual estamos), alcana a autoconscincia, mas ainda no compreende a Luz. Com efeito, nesta Cadeia Planetria recebemos o Corpo Mental, que usado pelo Eu Objetivo da Ordem Rosacruz e o Corpo Causal, que usado pelo Eu Interior da Ordem Rosacruz. Todos os corpos citados anteriormente se decompem entre uma encarnao e outra; entretanto, o Corpo Causal permanece ntegro entre as encarnaes.

A Luz existe e o Estudante a ver na Primeira Iniciao, embora a Luz e a Vida, ainda permaneam um mistrio para ele. Da Luz, na Primeira Iniciao, surgir o Pssaro anunciador do Mestre, que dar ao ento Iniciado, o Novo Nome e a Beno.

Para Steiner, os Quatro Evangelistas, ou seja, Mateus, Marcos, Lucas e Joo, alcanaram a Quarta Iniciao ou o Grau de Arhat, e, portanto, escreveram sobre o Cristo, o que eles prprios viram nos Registros AKsicos.

Desta sua opinio, decorre toda a confiana que Steiner deposita na Bblia. Ele denomina os Evangelistas de Sacerdotes ou Servos do Logos, ou seja, Sacerdotes do Cristo.

Cristo veio, no para o perdo fcil, que exime nossa responsabilidade perante os atos que praticamos; mas para que pudssemos ser Iniciados, sem cumprir os Dez Mandamentos, algo ainda muito distante de ns. Essa a minha opinio, sendo que A Importncia de Ser Iniciado e no perdermos nossa Onda de Vida pode ser vista em detalhes, em um Artigo meu que leva este nome.

Cristo to caro a voc, quanto caro a mim, e ele o Filho de deus; s que este deus o Logos da Estrela sol (e no apenas o Logos de um Esquema de Evoluo, que se d em sua Estrela). Como outrora se cria erroneamente que a Terra era o centro do Universo, tambm o fato de a vida evoluir por estrelas, ser do conhecimento e aceitao de todos brevemente.

Bibliografia.

- Verbete Plano Csmico, Glossrio de Termos e Conceitos da Tradio Rosacruz da AMORC.
- O Sistema Solar, Arthur E. Powell, Teosofia.
- sobre as Iniciaes, veja os Captulos VII a X, Os Mestres e a Senda, C. W. Leadbeater, Teosofia.
- sobre as 49 dimenses, veja o Diagrama 6, A relao do homem com Deus, Conceito Rosacruz do Cosmos, Max Heindel, Fraternidade Rosacruz.
- Terceira e Quarta Conferncias, O Evangelho Segundo Joo, Rudolf Steiner, Antroposofia (conferncias proferidas em Kassel, Alemanha).
- Evangelho de Joo, Bblia, traduo de Joo Ferreira de Almeida.

Veja neste site.

- O Mistrio do Cristo
- O Mistrio do Cristo II
- O Mistrio do Cristo III
- O Mistrio do Cristo IV
- A Importncia de Ser Iniciado


 Recomende este artigo
Indique para um amigo


Aguarde...






Todos Direitos Reservados © 2017