Carregando

Alquimia Mstica - III


... preciso purificar e exaltar o elemento do fogo que est em ns, e elevar o tom dessa corda frouxa.

No preciso seno concentrar o fogo do mundo atravs de espelhos cncavos num globo de vidro; e eis aqui o artifcio que todos os Antigos esconderam religiosamente e que o divino Teofrasto (Paracelso, acreso) descobriu.

Forma-se nesse globo um p solar que, purificando-se por si mesmo, pela mistura com os outros Elementos e sendo preparado segundo a arte, se torna em bem pouco tempo supinamente prprio a exaltar o fogo que est em ns e tornar-nos, digamos assim, de natureza gnea (Segundo Dilogo sobre as Cincias Secretas, O Conde de Gabalis).

Esta passagem Alqumica to importante que Eugene Canseliet, no Prefcio da 2 Edio de As Moradas dos Filsofos, de seu Mestre Fulcanelli, a repete integralmente; entretanto, vai por um caminho tortuoso no que se refere a explic-la, como o so todos os textos Alqumicos.

Raymund Andrea, esse grande membro da Ordem Rosacruz Amorc, no Artigo que leva o nome de O Conde de Gabalis, inserto no livro A Flor da Alma, quem vai lanar luzes sobre o tema, e com isto, avalizar o trabalho mstico que a Amorc desenvolve.

Falando da Fora Solar, Fora Vital ou Energia Csmica, Frater Andrea escreveu:

Eles se depararo com afirmaes luminosas sobre a Fora Solar, um outro nome para a Fora Vital ou Energia Csmica, que eles aprendem a dirigir e manipular em seu trabalho avanado, bem como seus vrios modos de manifestao.

Explicando o texto citado de O Conde de Gabalis, Frater Andrea usa o comentrio que o prprio Abade de Villar fez de seu livro.

Para o vidente, o homem aparece circundado por uma nvoa oval luminosa ou um globo de cristal. Essa luminosidade dos corpos sutis a manifestao das emoes e dos pensamentos do indivduo. chamada de aura e interpenetra o corpo fsico, estando presente durante a vida e se retirando com a morte ...

Aspirao e desejo constante de conhecer a Lei de Deus liberam no homem essa Fora que a Chama Viva e que age no homem sob a direo de Deus, com ou sem esforo consciente da mente finita.

Esse fogo, uma vez liberado, comea imediatamente a deslocar a fora nervosa latente e a abrir e aperfeioar os centros nervosos ou crebros menores, atrofiados pelo desuso, e que, quando regenerados, revelam ao homem os estados de conscincia suprafsicos e o conhecimento de sua perdida soberania sobre a natureza ...

A Fora Solar manifesta-se no plano fsico pela passagem atravs dos gnglios do sistema nervoso simptico, e, deste, sobe pela espinha at o crebro, onde suas correntes se juntam para construir o corpo Espiritual ou Solar.

Na passagem de um gnglio para outro, sua voltagem aumentada e ela desperta e aumentada pela fora peculiar a cada gnglio que ela domina.

Os gnglios ou centros so os espelhos cncavos, cuja propriedade concentrar o Fogo do Mundo ou Fora Solar.

No sistema crebro-espinal, existem muitos centros aguardando a regenerao. Assim, o cordo espinal a corda frouxa cujo tom deve ser aumentado pela exaltao do Elemento do Fogo que est em ns.

Frater Andrea conclui:

Nossos Membros, porm, compreendero que esto, de fato, trabalhando cientificamente com a Pedra Filosofal e trilhando a antiga Senda Rosacruz.

E eu diria:

Que justificativa excepcional para a realizao do estudo e dos simples Experimentos de Direcionamento de Energia, que a Ordem Rosacruz Amorc, prope.

Bibliografia:

O Conde de Gabalis Abade de Villar
As Moradas dos Filsofos Fulcanelli
A Flor da Alma Frater Raymund Andrea

PS: O Conde de Gabalis um timo livro, com bastante informao esotrica, mas que em minha opinio, deve ser desconsiderado no tocante ao comrcio sexual com os Elementais ou seres que habitam os Elementos.


 Recomende este artigo
Indique para um amigo


Aguarde...






Todos Direitos Reservados © 2019